Within | Ideias que Comunicam

Business Oriented Creativity

Eu também quero estar lá… :)

A gestão dos perfis sociais das empresas tem destas coisas.

A empresa procura notoriedade, visibilidade, abrangência e outras coisas acabadas em “…eiro”, procura “awareness” e “buzz” para a sua marca, produtos e serviços, a empresa QUER ter um perfil no facebook, no google+, twitter, pinterest, instagram, linkedin, tumblr ou flickr… quer que os seus clientes gostem, sigam, comentem, amem e comprem e voltem sempre.

A empresa quer milhões de likes, quer ser a maior lá da rua, do distrito ou deste lado conhecido do universo, quer que a audiência olhe quando ela passa, quer dependência da sua extrema qualidade e serviço dedicado ao cliente… mas… isto não depende da sua rede social!

A rede social é uma consequência não uma causa!

A consequência de uma atividade constante, de uma estratégia comercial, de um dinamismo visível, da qualidade dos produtos e serviços e da atenção dispensada aos potenciais clientes, só então surgem as razões para as publicações “sociais”… e estas devem evitar a aleatoriedade do impulso. Têm de ser vocacionadas para o tipo de cliente a que se destinam, tem de ser planeadas no tempo e na forma, tem de ser estrategicamente pensadas para procurar o envolvimento e a interação com o público, estas publicações buscam mais do que a simples fidelização dos atuais clientes, elas procuram aqueles que estão na segunda linha… os “amigos” dos nossos amigos…

É uma opção que, obrigatoriamente, tem de ser ponderada!
Tenho disponibilidade temporal para alimentar a rede social?
Consigo garantir a qualidade das publicações?
Terei efetivamente conteúdos para publicações regulares e empáticas?

Uma rede social “abandonada”, descontextualizada com a minha atividade, ou com 20.000 likes comprados na Indonésia é um logro cujo retorno efetivo para o meu negócio é muito difícil de avaliar…

Antes de ceder à pressão de criar a sua rede social de empresa fale connosco, não custa nada e… o seu negócio agradece!

Partilha através de:


Comente o artigo

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.